Núcleo de Investigação e Pesquisa em Psicanálise e Saúde Mental

foto

Nave dos Loucos. Hieronymus Bosch (1450 -1516).

 

NÚCLEO DE INVESTIGAÇÃO EM PSICANÁLISE E SAÚDE MENTAL

2º semestre de 2018

 

Coordenação: Jeannine Narciso

Coordenação adjunta: Andréa Guisoli Mendonça

 

Local >Fadenor \ Unimontes

20H às 21h45

 

Ementa

 

A civilização sustenta-se nos diferentes discursos de sua época. Isso é o que possibilita a passagem do que é natural à linguagem, regulando o gozo de cada sujeito fazendo-o caber nesta realidade, seja pela via do recalque ou da sublimação; pela regulação fantasmática que se transforma em prazer – mas sabendo-se que sempre haverá um resíduo deste gozo que não é todo regulável (TIZIO, 2007).

No entanto, na atual configuração das relações, os sujeitos se apresentam  subjulgados à globalização que traz como consequência o apagamento da própria singularidade, efeito da incidência do discurso capitalista, tomado por Lacan (1992) como uma variante do discurso do mestre.

Decorre daí, uma variedade sintomática, em que o ato prevalece e a palavra manca: a violência, o uso abusivo das drogas, o corpo agitado das crianças. Destaca-se uma inconsistência narrativa que incide de maneira a tornar o inconsciente impermeável ao sentido. É o corpo que se presta a falar e é ao falasser que a psicanálise se dirige ao reconhecer a incidência do significante no corpo. Que efeitos recolhemos na clínica a partir destas mutações? É o que propomos discutir neste semestre.

 

Referências:

LACAN, J. (1992). Seminário; Livro 17: O avesso da psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar.

LAURENT, Éric. Pode o neurótico prescindir do pai? In: A SOCIEDADE DO SINTOMA, a psicanálise hoje. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2007, p. 51 a 58.

MILLER, Jacques-Alain. O Inconsciente e o corpo falante. In: ASSOCIAÇÃO MUNDIAL DE PSICANÁLISE. Scilicet: O corpo falante: sobre o inconsciente no século XXI.São Paulo:Escola Brasileira de Psicanálise,2016, p.19 a 32.

TIZIO, Hebe. Novas modalidades de laço social. Revista aSEPHallus / Universidade Federal do Rio de Janeiro. Instituto de Psicologia. Programa de Pós-graduação em Teoria Psicanalítica. Núcleo Sephora de pesquisa sobre o moderno e o contemporâneo. – VOLUME II, n. 4, (mai. a out. /2007). – Rio de Janeiro : Ed. Sephora, 2005-

VIEIRA, Marcus André. Apresentação: O Scilicet do corpo falante. In: ASSOCIAÇÃO MUNDIAL DE PSICANÁLISE. Scilicet: O corpo falante: sobre o inconsciente no século XXI. São Paulo:Escola Brasileira de Psicanálise, 2016. p.13 a 17.

AGOSTO. dia 14. terça

SEMINÁRIO TEÓRICO: A experiência analítica hoje: modos de usar os poderes da fala

Jeannine Narciso

Comentário: Maria José Gontijo

 

SETEMBRO. dia 11. terça

APRESENTAÇÃO DE CASO CLÍNICO: ENLAÇAMENTO E ENDEREÇAMENTO NA PSICOSE

Apresentação: Mércia Pimenta

Comentário: Wellerson Alkmim

 

OUTUBRO. dia 16. terça

SEMINÁRIO TEÓRICO: HÁ ALGO DE NOVO NA PSICOSE INFANTIL?

Cristina Drummond

 

NOVEMBRO.  dia 13.  terça

APRESENTAÇÃO DE CASO CLÍNICO: ADOLESCÊNCIA: A EVAPORAÇÃO DO NOME-DO-PAI E A LEI DE FERRO DO SOCIAL

Apresentação: Andréa Guisoli

Comentário: Márcia Mezêncio

 

DEZEMBRO. dia 07. sábado

APRESENTAÇÃO DE PACIENTE

Entrevistadora Maria Helena Gonçalves Fonseca

Horário e local: a serem confirmados

 

 

INSCRIÇÕES –  Por e-mail com:

Christine Athayde – christineathaydenipsm@gmail.com

Andréa  Guisoli – andreaguisoli@gmail.com