Núcleo de Pesquisa em Psicose

Nucleo psicose

Sem Título / obra Coletiva / Acrílica sobre Cartão. Centro de Convivência Barreiro / 2012.

NÚCLEO DE PESQUISA EM PSICOSE

2º semestre de 2017

Coordenação: Lúcia Grossi

Coordenação adjunta: Graciela Bessa

Local: Sede do IPSMMG

Horário 10:00 às 11:30

 No Seminário 23 Lacan nos apresenta Joyce como um sujeito desabonado do inconsciente, ou seja, um sujeito que não contava com a metáfora paterna. Então haveria aí forclusão. No primeiro ensino de Lacan, a  forclusão é um dos três pilares da clínica da psicose, os outros dois são o desencadeamento e a estabilização, ou suplência. O caso Joyce ensina que pode haver forclusão sem desencadeamento. A ideia de suplência sempre foi um alento para aqueles que se dedicam à clínica da psicose: se havia uma suplência antes do desencadeamento, pode haver uma outra depois.

Se nos apoiarmos no texto de Miller “Efeito de retorno sobre a psicose ordinária”, diríamos que quando a neurose não está clara, estaríamos no campo das psicoses. Mas podemos dizer também que com o declínio do simbólico, o império das imagens e o empuxo ao gozo que caracterizam o mundo contemporâneo, as neuroses não são como antes.

Como então diagnosticar a psicose não desencadeada? A resposta que temos encontrado na nossa prática é: pelos pequenos índices. Vamos encontrar os desligamentos do campo do Outro, fenômenos corporais indicando a dificuldade de “fazer um corpo” e o sentimento de vazio, a identificação com o objeto resto. Assim teremos uma clínica dos detalhes, onde a loucura aparece de forma mais discreta.

A abordagem da psicose ordinária nos convida a uma clínica dos detalhes, e a estratégia de tratamento comporta um esforço de identificação dos recursos que o sujeito mobiliza para manter o laço social.

 

Referência:

Miller, J.-A. Efeito de retorno sobre a psicose ordinária. A Psicose Ordinária. Belo Horizonte: Scriptum,2012, p.399-428.

 

PROGRAMAÇÃO:

 

Agosto. Dia 11. sexta

Seminário Teórico: Dos inclassificáveis à psicose ordinária

Lúcia Grossi

 

Agostos. Dia 25. sexta

Seminário Teórico : Pequenos índices da psicose

Cristiana Ferreira

 

Setembro. Dia 01. sexta

Caso clínico. Atividade conjunta com o Núcleo de Direito e Medicina e Observatorio da criança e adolescente (OCA-UFMG) e CIEN

CONVERSAÇÃO – JOVENS RADICALIZADOS: NOVA FACE DA ‘LOUCURA’ ADOLESCENTE

Coordenação : Ludmilla Feres Faria

Horário : 14 às 17 h

 

Setembro. Dia 29.  sexta

Seminário clínico

Apresentação : a definir

Comentário: Laura Rubião

 

Outubro. Dia 06. sexta

Seminário teórico: Estratégia do analista frente às novas formas de apresentação da psicose

Cristiana Pittella

 

Outubro. Dia 20.sexta

Apresentação de paciente

Wellerson Alkmim

Local e horário: a serem confirmados.

 

Novembro. Dia 10. sexta

Comentário da apresentação de paciente

Carlos Luchina

 

Novembro. Dia 24. sexta

Pontuações sobre o tema e trabalhos do semestre

Graciela Bessa