CIEN Minas - 26/10/2016

CIEN Minas – 26/10/2016

cien-2

“Na internet eu não posso fazer tudo, mas posso ver tudo!”- afirma um jovem, participante da conversação realizada pelo Laboratório Além da Tela: psicanálise e Cultura Digital, numa escola de BH.

É mesmo possível “ver tudo”? – questiona o Laboratório, que também se interroga sobre como os adolescentes lidam com esse imperativo atual de visibilidade e sobre o modo com o qual tal imperativo interfere na constituição de uma “identidade masculina”.

Paulo comenta: “A internet ensina tudo sobre sexo”. Pedro complementa: “Eu assisto vídeo pornô porque ele treina para o sexo”. O que a internet introduz de novo nesse campo, antes ocupado pelas revistas voltadas ao público masculino? O mercado de imagens na web serviria de apoio ou dificultaria a construção dos próprios sonhos, despertados na puberdade?

Estaria o jovem que se mantém preso às imagens na internet buscando se esquivar do encontro corpo a corpo, para evitar o confronto com a inexistência da relação sexual?

Os jovens se queixam de que não são escutados pelos pais, mas “vigiados” por eles através das redes sociais. Diante desse imperativo de visibilidade e de controle via tecnologia, que recursos o sujeito tem criado para proteger a intimidade, tecendo um véu para o surgimento da fantasia que propicia a iniciação sexual?

Temos aí importantes questões e, para conversar sobre elas, convidamos vocês!