CIEN: Os meninos púberes e o insuportável da sala de aula

cien

Vinte meninos “fora da sala de aula”.

A partir de tal impasse a escola convocou a presença dos psicanalistas.

Interrogamos: Quem são esses garotos? Que insuportável os coloca “fora” do movimento esperado da escola? Em destaque a puberdade, a diferença entre os sexos é importante? Na puberdade, a pulsão “comporta em si o que resta da primitiva eflorescência infantil da sexualidade”, nos lembra Freud em “Os Três Ensaios para a Sexualidade”, 1989, p. 195.

 “São filhos de mães sozinhas”, nos relataram a diretora.

“Meninos fora” e “mães sozinhas”. Haveria um traço da solidão, que marca os corpos dos púberes e de suas mães, ligando esses significantes?

Em outra escola, houve mobilização da polícia e muito mal-estar quando a professora, que escrevia no quadro negro, vira para trás e surpreende o aluno de 13 anos com a calça abaixada. Diante do impossível da sexualidade, o que teria o menino púbere a dizer de seu ato?

A entrada dos praticantes do CIEN nessas escolas possibilitou a Conversação com os meninos de 10 a 14 anos, suas mães e os professores. Abriu-se também a fala aos personagens envolvidos em uma cena que aturdiu, embaraçou e produziu conseqüências segregadoras. Foi importante recolher inscrições singulares das experiências, e promover a interlocução entre os segmentos escolares. Outros olhares, novos saberes.

O Laboratório “Trocando em Miúdos” convida para uma Conversação sobre essas experiências, no dia 21 de setembro, às 20.30h.