Núcleo de Investigação e Pesquisa Psicanalítica nas Toxicomanias e no Alcoolismo

Núcleo de Investigação e Pesquisa Psicanalítica nas Toxicomanias e no Alcoolismo

Aconteceu no dia 14/04/2015 a discussão do caso clínico “Sexo, Drogas, Rock’n roll” apresentado por Felipe Barreto e comentado por Maria Wilma Faria. Foi possível à luz do caso, investigarmos o poder das imagens e seus efeitos sobre o modo de gozo de um sujeito.  Revestido com uma roupagem de “dependente químico, amante do álcool e da cocaína, tal como um rockstar”, por algum tempo este sujeito se sustentou fazendo um enlaçamento entre o Real e o Imaginário, ali onde não podia lançar mão do recurso Simbólico. Utilizamos de uma comparação entre o primeiro tempo do ensino de Lacan com o Ultimíssimo Ensino para pensar o Imaginário tal como é vivido na época atual. Localizamos a função que a droga tinha para o sujeito em questão e como foi importante a disponibilidade do analista que, com sua escuta, propiciou novos contornos para um corpo que de devastado passou a se apresentar “malhado” e cuidado mesmo que com “suplementos alimentares”. O caso nos ensinou que analisar hoje o parlêtre implica no exercício incessante de circunscrever o ponto fixo de gozo e testemunhar aquilo que não cessa de se escrever.

Referência: http://oimperiodasimagens.com.br/pt/faq-items/o-imperio-das-imagens-e-o-gozo-do-corpo-falante-miquel-bassols/