Núcleo de Investigação Psicanalítica nas Toxicomanias e Alcoolismo 05.05.2015

Núcleo de Investigação Psicanalítica nas Toxicomanias e Alcoolismo 05.05.2015

Droga e masturbação: um recurso à imagem

No último dia 05 de maio, Josiane Gomes Soares apresentou recortes de um caso clínico com o título: “Drogas e masturbação: um recurso à imagem”, seguido dos comentários de Lilany Pacheco.

Extraído da conversação, o ponto central do caso refere-se à”falsificação”. Falsificação a partir de uma adoção que não ocorre, de uma filiação que não se inscreve, e os embaraços de um sujeito diante de tentativas frustradas de inscrever o Nome do Pai, tais como: uso de drogas, envolvimento em acidente sério, impotência (sexual) vivenciada no corpo, são novas formas de sintoma e atuações apresentados por este sujeito durante seu acompanhamento psicoterápico na instituição de segurança pública que o acolhe. A impotência sexual seria um sintoma? Ele buscaria realizar suplência recorrendo à vários objetos (droga, bomba peniana, vídeos pornôs) na tentativa de tamponar a falta fálica, falta esta estrutural? Foram questões levantadas no texto e na discussão. Parece tentar assim constituir um corpo que, para ele, não existe, valendo-se do recurso à imagem e às imagens.

Concomitante com esta apresentação do caso nos dedicamos a uma discussão sobre o trabalho realizado pelo Campo Freudiano sobre a construção de casos clínicos. Construções estas feitas a partir de relatórios que permitam o avanço da teoria no que Carlo Viganó[1] denomina “construção democrática”.

Josiane Soares

[1] Ver: http://www.opcaolacaniana.com.br/pdf/numero_1/A_construcao_do_caso_clinico.pdf