Núcleo de Investigação Psicanalítica nas Toxicomanias e Alcoolismo - Agosto e Setembro

Núcleo de Investigação Psicanalítica nas Toxicomanias e Alcoolismo – Agosto e Setembro

Breve síntese do trabalho apresentado no Núcleo de Investigação Psicanalítica nas toxicomanias e Alcoolismo

No segundo semestre de 2015 começamos o NIPP-TyA no dia 11 de agosto desenvolvendo o tema sobre a importância do acolhimento da demanda do Outro da família. Na clínica das toxicomanias e alcoolismo é comum recebermos demanda vinda do Outro que não é o que faz o uso de drogas, mas é aquele que demanda tratamento. O trabalho apresentado por Cristina Nogueira trouxe algumas questões e teorizações sobre o tema buscando elucidar impasses e possibilidades de intervenção a partir de um caso clínico e da contribuição da psicanálise no tratamento.

No dia 25/8 tivemos a conversa sobre a apresentação de paciente realizada no primeiro semestre de 2015, no CERSAM AD, e conduzida por Lilany Pacheco. Tivemos a participação da psicóloga que conduz o caso na instituição com o comentário de Jésus Santiago. A paciente é usuária de álcool e outras drogas e foram levantadas questões muito interessantes, como a identificação ao gozo do pai, também alcoolista. O encontro da paciente com o álcool se deu ainda na infância, sendo a bebida dada a ela pelo pai nos momentos que ia buscá-lo no bar e demandava a ele que lhe desse um gole daquilo que já percebia como gozo do pai. Entretanto o destaque maior no caso assinalado por Jésus foi a devastação verificada na sua relação com os homens e a hipótese de psicose. O desafio é propiciar à paciente outra saída que não a morte já anunciada na vida e na história da paciente que demonstrou um laço importante com a equipe do serviço.

No dia 26/9 tivemos a apresentação de pacientes no Centro Mineiro de Toxicomania-CMT, realizada por Lilany Pacheco. Um jovem em tratamento no CMT trouxe-nos seu encontro com o álcool, com as drogas, seus impasses e dificuldades em romper com os momentos em que passa ao ato de usar e acaba ficando no lugar de dejeto. Ficou evidente como ele rompeu os laços que ele considera importantes em sua vida, como o casamento, a música e a profissão, assim como algumas situações em que fica embaraçado e responde com o recurso ao tóxico. Contamos com a participação dos profissionais que conduzem o caso, com os profissionais da instituição e demais participantes do NIPP, iniciando uma conversa profícua que terá sua continuidade no primeiro semestre de 2016.

 Fotografia Lou Lighting Aurele’s Cigarette, Sag Harbour, 2000, por Nan Goldin.