Cien Digital 17

Caro amigo e leitor do Cien digital,Talvez a melhor maneira de lhe apresentar este número do Cien Digital, fosse simplesmente sugerir que você o abrisse, como quem abre um “Kinder Surprise“: uma surpresa, certamente aguardada, mas impensável! Tomemos outra perspectiva: se a evocação do Kinder Ovo veio fácil à cabeça por ser tempo de páscoa e vemos ovos de chocolate por toda parte, apelativos, atiçando os sentidos, sussurantes em nossos bolsos, é que aí, justo na face que se oculta sob a sedução do Kinder Ovo, reside nosso interesse de reflexão no momento. Chocolate? Não! Interessa-nos pensar a criança e adolescente como metáfora do Kinder Ovo, caso pensemos como Zizek que qualificou o famoso chocolate –aliás, de chocolate tem pouco- de  metáfora da mercadoria. Assim, nosso assunto, porque é nossa preocupação, é com a criança /mercadoria. Se continuarmos na formulação de Zizek, que cita Lacan “Eu o amo, mas,  inexplicavelmente, amo alguma coisa em você mais do que você mesmo, e portanto, o destruo”, temos  a noção de objeto a, o agalma representado tanto pelo brinquedo que vem dentro do chocolate ( no vazio material do ovo, como um “mais” ) quanto pela criança como plus que colma a falta materna, o nada do desejo. A mercadoria perfeita porque ela mesma já é o suplemento capaz de satisfazer as expectativas idealizantes.

Desejamos-lhe boa leitura !

CIEN DIGITAL 17