VII JORNADA INTERNACIONAL DO CIEN

VII JORNADA INTERNACIONAL DO CIEN

Jornada CIEN

ARGUMENTO

Nossa Jornada Internacional do CIEN terá por tema “Crianças saturadas”. O título já remete ao excesso   ao qual muitas crianças e adolescentes encontram-se submetidos na atualidade. Saturados, fartos,    saciados, termos que indicam a satisfação, mas levada até o fastio.

Na atualidade podemos constatar que, apesar de as crianças e os adolescentes ganharem novos espaços em diferentes áreas dos saberes e práticas, tais como o Direito, muitas das vezes, no afã de protegê-los, terminam por submetê-los a saberes e práticas que acrescentam um plus, algo a mais. Um exemplo foi o recente e acalorado debate sobre a chamada comida Junk food. Considerada prejudicial para a saúde dos pequenos pelo alto teor de açúcar, sódio e gorduras saturadas, foram objeto de dois Projetos de Lei na Assembleia Legislativa de São Paulo, que pretendiam limitar os horários de veiculação de propagandas de junk food, como também, proibirem a distribuição de brinquedos associados aos alimentos. Porém, além de regular a publicidade, deveriam incluir advertências dirigidas sobre os males da obesidade infantil.

Podemos dizer que as formas de saturação são múltiplas e diversas. As crianças parecem saturadas por saberes, por ofertas, por demandas, por medicamentos, por gadgets e pelas imagens que deles proliferam, numa profusão nunca antes vista. Paradoxalmente, frente a esse excesso, elas encontram-se sozinhas, entediadas e desorientadas. Muitas vezes, as telas e as drogas tornam-se um recurso fácil e imediato frente à angústia, ao mal-estar e à solidão. As crianças e adolescentes, tão solitários quanto desorientados, passam muito tempo na internet e diante das telas, dos games e da televisão. A tela que conecta é a mesma que pode distanciar. Trata-se de uma infância negligenciada, onde as telas passam a se ocupar das crianças, instalando uma relação de dependência que a criança encontrará novamente na adolescência, através da oferta de objetos de todo tipo, por um mercado cada vez mais agressivo e em franca expansão. (LAURENT, E., “A crise do controle da infância” In. Crianças falam! E têm o que dizer, 2013, p. 38).

Assim, a solidão da criança e do adolescente não provém apenas de famílias “desestruturadas”, de situações de carência, de crise ou de doença. Ela se produz na própria relação que a criança estabelece com seus objetos, perturbando, inevitavelmente, o laço com os outros. Aos objetos de satisfação imediata ou objetos de gozo, como dizemos em psicanálise, entre os quais se incluem as telas e as drogas (e também os medicamentos), se agregam diferentes campos de saberes e, inclusive, as demandas sem fim relacionadas ao que pretensamente se deveria esperar de uma criança.

Uma vez mais, a proposta CIEN se coloca no olho deste furacão, assumindo o desafio de abordar tais impasses contemporâneos em espaços institucionais interdisciplinares. Uma prática que, através do dispositivo da conversação, permita produzir interrogações para dar um lugar mais digno aos modos de resposta, sempre únicos, de cada criança ou adolescente. Para que não fiquem reduzidos a meros objetos de consumo e de saberes, e se abra a via de um desejo e de uma invenção própria. O que podemos extrair da prática do CIEN para pensarmos tais questões atuais e seus impasses? O que nos ensinam as crianças e adolescentes através de suas pequenas invenções quando, nas instituições, lhes oferecemos a palavra?

Mais do que respostas, este argumento propõe perguntas para que cada laboratório possa compartilhar e, a partir do trabalho conjunto, transmitir os efeitos de suas experiências, tanto aquelas realizadas no âmbito das conversações com as equipes interdisciplinares, quanto as que se realizam com as crianças e os adolescentes.

PROGRAMA da VII Jornada Internacional do CIEN

 

 11h Inscrições e credenciamento

12h-13h20 Mesa 1: Dar tempo para escutar

Coordenadora: Nohemí Brown

Comentadora: Ana Lydia Santiago

  • Do “Sem vez” à invenção: o excesso de demandas em um abrigo. Relatora Mônica Hage (Laboratório “Adolescência e sexualidade” –Brasil -BA)
  • Desejo e responsabilidade subjetiva em crianças e jovens, são possíveis hoje? Relator Mary Lilian Trigo (Laboratório “Desejo e responsabilidade subjetiva em crianças e jovens, são possíveis hoje?” Argentina -El Bolson)
  • Os filhos do crack. Relatora Keronlay Machado (Laboratório “ Infância Errante” Brasil- RJ)
  • O fármaco e a cadeira. Relatora Cristiane de Freitas Cunha (Laboratório “A Janela da Escuta”- Brasil- BH)
  • O que um trabalho de mediação na Escola ensina? Relatora Gricel Osorio Hor-Meyll (Laboratório “Digaí Escola!” Brasil- RJ)

 

13h20 – 14h40 Mesa 2: Fazer lugar para a surpresa

Coordenador: Rodrigo Lyra

Comentador: Fernando Vitale

  • O imprevisto entre a oferta e a demanda. Relatora Silvia Sato (Laboratório “Afinarte” Brasil- SP)
  • Crianças saturadas! – a resposta de uma adolescente, com uma imagem postada no Facebook. Relatora Amanda Nunes (Laboratório “A criança entre a mulher e a mãe” Brasil -RJ)
  • Questões de lógica. Relatoras Laura Grischpun e Lorena Buchner (Laboratório “Não sem algumas voltas” Argentina -Buenos Aires)
  • Quando a tela não satura? Relatora Roberta D’Assunção (Laboratório “Cinema e Psicanálise: atores e autores” Brasil- RJ)

 

14h40- 16h Mesa 3: Flexibilizar para acolher

Coordenadora: Daniela Teggi

Comentadora: Maria do Rosário do Rego Barros

  • Que lugar para as regras? Relatora Giselle Fleury (Laboratório “Pipa-Voada” Brasil- RJ)
  • Adolescentes saturados pelo pior e pelo melhor. Relatoras Bruna S. Albuquerque e Lisley B. Toniolo (Laboratório “Docentes doentes: Deixem-os falar!” Brasil- BH)
  • Rumo ao encontro com o vazio. Relatora Edna Elena Gomez Murillo (Laboratório “Como fazer lugar à diferença”- México)
  • Ler o que se arranja nas margens. Relator Gastón Cottino (Laboratório “Ler nas margens” Argentina -Mendoza)

 

16h- 16h40 Mesa 4: Encerramento: Psicanálise e CIEN

Coordenadora: Lucíola Macêdo

Intervenção de Beatriz Udenio – “Encontrar o traço de exceção”

Intervenção de Miquel Bassols: “A singularidade da criança”

*Os inscritos receberão a apostila com os trabalhos na integra (em português e em espanhol). Como opção, também estará acessível, por tempo limitado, no blog do CIEN Brasil: http://cien-brasil.blogspot.com.br/

 

Inscrições

Para se inscrever, basta realizar um depósito bancário no valor do evento.

Banco Itaú

Agência 0311

CC 04915-9 (Instituto de Clínica Psicanalítica do Rio de Janeiro – ICP)

CNPJ: 054206700001-80

Jornada CIEN R$ 65

(CIEN/CEREDA R$80)

Em enviar cópia do comprovante para cienceredatya@gmail.com

Com os seguintes dados: Nome completo e especificar o evento no qual se inscreve
Informesbrasil.cien@gmail.com /http://oimperiodasimagens.com.br/pt/eventos-satelites/

 

Links de contato:

CIEN-DIGITAL (Boletim Eletrônico dos Laboratórios do CIEN no Brasil)

www.institutopsicanalise-mg.com.br/ciendigital/n18/index.html

cien-brasil.blogspot.com.br

entercien.blogspot.com.ar