XVII Conversação Clínica do IPSM-MG

XVII Conversação Clínica do IPSM-MG

 Um estatuto respeitável para o corpo

Querer engordar” e “como e como e não engordo” são o modo como uma jovem apresenta seu problema. A resposta a essa fala é encontrada nas escarificações ou lesões autoprovocadas em partes não expostas de seu corpo. O Olhar de uma mãe que tudo vigia não vê as escarificações e as marcas do sofrimento dessa jovem. Do pai, nervoso e agressivo, ela se defende isolando-se em seu quarto. 

Tal como poderemos acompanhar na Conversação que realizaremos, o tratamento permite o deslocamento dos fenômenos de corpo e linguagem, embora persista a preocupação exagerada com a magreza. A nomeação “anoréxica” não oferece uma amarração para seu corpo, tampoucdá a ele um estatuto respeitável. No lugar de automutilar-se, “apanhar muito na escola” é um fato que aparece associado ao sentimento de “estranheza”, de “bizarrice” e da “sensação de depressão” – pontos que orientam a direção do tratamento dessa jovem após a realização da apresentação de pacientes para a qual ela é convidada pela equipe responsável pelo seu tratamento.

Apresentação: Ana Maria Lopes e Ana Lydia Santiago

Comentário: Ram Mandil

Coordenação: Cristiane Cunha Grillo

Dia: 5 de novembro de 2016

Horário: 9:00 – 12:30

Local: Sede do IPSM-MG – Felipe dos Santos, 588 – Lourdes.

Inscrições: 40,00 (estão isentos da taxa aderentes e membros da EBP inscritos no Curso de Psicanálise e na Seção Clínica do IPSM-MG)

Telefone: (31) 3275-3873